O diagnóstico de disfunção sexual feminina requer uma investigação detalhada da vida da mulher, já que o quadro pode ser desencadeado por muitos fatores.

O sexo é uma função biológica capaz de proporcionar bem-estar físico e emocional. A resposta sexual saudável, para homens e mulheres, envolve três etapas principais: desejo, excitação e orgasmo.1,2 

A disfunção sexual ocorre quando há excesso, falta ou dor relacionada a uma ou mais etapas dessa resposta saudável. A condição pode se manifestar individualmente ou em casal.1,2 

A investigação das motivações pode envolver aspectos hormonais, relacionais, culturais e psicológicos, para citar alguns. É importante procurar o ginecologista para entender se o caso é patológico ou não.1,2 

Entre as queixas femininas mais comuns, estão: 

  • dispareunia: dor durante o sexo; 
  • transtorno de excitação sexual: dificuldade em ficar excitada; 
  • anorgasmia: transtorno orgásmico ou incapacidade de ter orgasmo; 
  • transtorno do desejo sexual hipoativo: baixa libido ou falta de desejo sexual.3 

Quais são as causas da disfunção sexual feminina? 

Condições médicas

O histórico de doenças é um dos primeiros pontos de investigação médica. Isso porque a disfunção sexual pode ter relação direta com algumas doenças, como diabetes, doenças da tireoide, hipertensão arterial, neuropatias, dor pélvica crônica, depressão, ansiedade e hipoestrogenismo.¹  

Uso de medicamentos

Existem medicamentos que podem influenciar no funcionamento considerado normal da função sexual. Alguns exemplos são: antidepressivos, anti-hipertensivos e anticoncepcionais hormonais.¹ 

Questões relacionais

A vida em par pode ocasionar um relacionamento conflituoso, rotina sem novidades e preliminares insuficientes. Todos esses aspectos podem impactar na função sexual.¹ 

Aspectos socioculturais

Os costumes, valores e tabus socialmente definidos podem contribuir para que as mulheres criem crenças negativos sobre a sexualidade.¹ 

Repressão e violência sexual

A repressão familiar, religiosa e social podem inibir a expressão sexual. Casos de violência e traumas sexuais também contribuem diretamente para a disfunção sexual feminina.¹ 

Questões hormonais

A disfunção dos hormônios também afeta os níveis de libido, desejo e capacidade de ter orgasmos.¹ 

Desconhecimento da anatomia genital e da resposta sexual

A falta de conhecimento sobre o funcionamento do corpo pode dificultar a entrega total no momento de se relacionar sexualmente.1 

Como é feito o tratamento da disfunção sexual feminina? 

O tratamento inicial da disfunção sexual é a terapia e educação sexual, podendo ser individual ou de casal.1-3 

O processo inclui conversas sobre a anatomia e o funcionamento normativo da resposta sexual. O objetivo é desenvolver as capacidades sensoriais da paciente, diminuir a aversão a toques, reduzir a ansiedade em relação ao sexo, melhorar a comunicação sexual, trabalhar a autoestima e o autoconhecimento, e potencializar a intimidade do casal.1-3 

Nos casos em que a mulher apresenta manifestações clínicas da menopausa, a terapia hormonal pode ser uma opção.1-3 

Em situações específicas, que requerem a correta avaliação e orientação médica, medicamentos não hormonais que atuam no sistema nervoso central também podem ser úteis.1-3  

Procure seu ginecologista e fale abertamente sobre todas as suas dúvidas, inseguranças e dificuldades. A disfunção sexual feminina pode ser tratada e proporcionar melhor qualidade de vida sexual! 

Referências

1. LARA, Lucia Alves da Silva et al. Tratamento das disfunções sexuais no consultório do ginecologista. Femina, p. 66-74, 2019. Disponível em: https://www.febrasgo.org.br/media/k2/attachments/FeminaZ02Z-ZFevZ2019.pdf. Acesso em: 21 jan. 2022.  
2. ABDO, Carmita Helena Najjar; FLEURY, Heloisa Junqueira. Aspectos diagnósticos e terapêuticos das disfunções sexuais femininas. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), v. 33, p. 162-167, 2006. Disponível em:   https://www.scielo.br/j/rpc/a/kBhgd8BfpjWTg3RYFRkBRkP/?lang=pt#. Acesso em: 21 jan. 2022. 
3. CLEVELAND CLINIC. Sexual dysfunction in females. Disponível em: <   https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/9123-sexual-dysfunction-in-females>. Acesso em: 21 jan. 2022. 

M-N/A-BR-12-21-0022 – APROVADO EM MAR/22 – DESTINADO AO PÚBLICO EM GERAL