Fundamentais para as diversas fases da mulher – desde a puberdade até a menopausa – os hormônios estrogênio e progesterona são responsáveis pelo desenvolvimento das características sexuais da mulher, que incluem: crescimento das mamas e pelos pubianos, alterações físicas do corpo, fertilidade e ciclo menstrual. 

Os hormônios são substâncias químicas, produzidas por glândulas do sistema endócrino, que atuam como mensageiros para o controle do funcionamento do corpo. Nas mulheres, dois grupos ganham destaque: os estrogênios e progestágenos.1  

Produzidos principalmente pelos ovários durante a vida reprodutiva, esses hormônios femininos só atuam adequadamente com a ajuda do hipotálamo, região do cérebro que, dentre suas funções, secreta o GnRH, que age na hipófise estimulando a produção de outros hormônios auxiliares como o FSH (hormônio folículo estimulante) e LH (hormônio luteinizante).1 

Qual a função do estrogênio? 

Os estrogênios são classificados como um grupo de hormônios encontrados em homens e mulheres. Nelas, são responsáveis pelas características sexuais secundárias, como alargamento dos quadris, desenvolvimento mamário e aparecimento de pelos.2,3  

Existem três tipos principais de estrogênios: estrona, estradiol e estriol. Desses, o estradiol se destaca pelo seu papel no organismo feminino.2   

A principal função do estradiol é o amadurecimento e manutenção do sistema reprodutor feminino. Durante o ciclo menstrual, o aumento dos níveis desse hormônio no sangue faz com que o óvulo amadureça e seja liberado para fecundação.2   

Outro papel importante do estradiol é engrossar o endométrio, revestimento interno do útero, para receber o óvulo fertilizado. O estradiol também promove o desenvolvimento do tecido mamário e aumenta a densidade óssea e da cartilagem.2  

Os níveis de estradiol variam ao longo do ciclo menstrual, mais altos na ovulação e mais baixos na menstruação. Além disso, sua produção diminui lentamente com a idade, com destaque para a menopausa, quando os ovários produzem quantidades mínimas desse hormônio.2  

Em gestantes, a placenta também produz uma certa quantidade de estradiol, especialmente no final da gestação.2  

O excesso de estradiol no organismo pode causar acne, constipação, perda de libido e depressão. Em casos mais graves, ganho de peso, infertilidade, acidente vascular cerebral, ataque cardíaco e risco aumentado de desenvolvimento de câncer de útero e/ou mama. Já o baixo nível de estradiol no organismo compromete o desenvolvimento ósseo e da puberdade.2  

Qual o papel da progesterona? 

A progesterona pertence a um grupo de hormônios chamados progestágenos, atuando no ciclo menstrual e na manutenção dos estágios iniciais da gravidez.4  

Caso o óvulo liberado seja fertilizado, a progesterona prepara o corpo para a gravidez, desenvolvendo os vasos sanguíneos que suprem o útero, além de estimular as glândulas do endométrio a secretar nutrientes para o embrião.4  

Outras funções da progesterona são: estimular o crescimento do tecido mamário, impedir a lactação e fortalecer os músculos da parede pélvica, importantes para o parto. O nível de progesterona no organismo feminino aumenta até que ocorra o parto.4 

Se o óvulo não for fertilizado, a produção de progesterona cai e um novo ciclo menstrual começa, sem que as mudanças citadas anteriormente aconteçam.4  

Não há consequências médicas sérias descritas em caso de excesso de progesterona no organismo. Entretanto, a ingestão de altos níveis desse hormônio na forma de medicamento pode estar associada a um pequeno aumento do risco de câncer de mama.4 

Caso os níveis de progesterona sejam muito baixos, pode ocorrer sangramento menstrual irregular. Além disso, a queda da progesterona durante a gestação pode resultar em aborto espontâneo e parto prematuro.4 

O organismo feminino possui testosterona?  

Apesar dos níveis de testosterona serem maiores no sexo masculino, na mulher também há a presença desse hormônio.1,5,6  

No corpo feminino, a testosterona está associada à manutenção da massa muscular, densidade mineral óssea e libido.1,5,6  

A maior parte desses hormônios, que é produzida no ovário, é convertida em estradiol.1,5 

O uso de testosterona sem indicação pode levar à ocorrência de acne, excesso de pelos, queda de cabelo, riscos cardiovasculares, engrossamento da voz, aumento do clitóris e outros riscos psicológicos.7  

Conhecer seu corpo e como ele funciona é fundamental para mapear possíveis alterações fisiológicas. Mantenha sempre um diálogo aberto com seu ginecologista e não deixe de acompanhar as mudanças do seu corpo.  

Referências

1. HOSPITAL ALBERT EINSTEIN. Hormônios Femininos: estrógeno, progesterona e melatonina. o que são, para que servem e como atuam no organismo. Disponível em: https://jornadadamulher.einstein.br/2017/08/23/hormonios-femininos/. Acesso em: 22 dez. 2021. 
2. YOU AND YOUR HORMONES (Reino Unido). Society For Endocrinology. Oestradiol. 2018. Disponível em: https://www.yourhormones.info/hormones/oestradiol/. Acesso em: 22 dez. 2021. 
3. MAYO CLINIC. Estrongen (Oral Route, Parenteral Route, Topical Application Route, Transdermal Route). 2021. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/drugs-supplements/estrogen-oral-route-parenteral-route-topical-application-route-transdermal-route/description/drg-20069495. Acesso em: 22 dez. 2021. 
4. YOU AND YOUR HORMONES (Reino Unido). Society For Endocrinology. Progesterone. 2021. Disponível em: https://www.yourhormones.info/hormones/progesterone/. Acesso em: 22 dez. 2021. 
5. YOU AND YOUR HORMONES (Reino Unido). Society For Endocrinology. Testosterone. 2021. Disponível em: https://www.yourhormones.info/hormones/testosterone/. Acesso em: 22 dez. 2021. 
6. SILVA, Lucia Henriques Alves da. Uso de testosterona em mulheres: o que recomenda a nova diretriz? 2019. PebMed. Disponível em: https://pebmed.com.br/uso-de-testosterona-em-mulheres-o-que-recomenda-a-nova-diretriz/. Acesso em: 22 dez. 2021. 
7. SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA (Brasil). Efeitos do Abuso da Testosterona na Mulher e no Homem. 2018. Disponível em: https://www.endocrino.org.br/media/nota_de_esclarecimento_abuso_testosterona_defa_sbem_(1).pdf. Acesso em: 22 dez. 2021 

M-N/A-BR-02-22-0014 – APROVADO EM MAR/22 – DESTINADO AO PÚBLICO EM GERAL