A gravidez é um período de muitas transformações e que exige um cuidado com a alimentação. Muitas vezes, é indicada a suplementação alimentar para nutrir, adequadamente, a mãe e o bebê.

Durante a gravidez, os fatores que impactam na saúde materna são capazes de influenciar significativamente a futura geração. Fornecer nutrientes adequados e na quantidade recomendada para a mulher durante o período gestacional e na amamentação é fundamental não somente para a saúde dela, mas também do bebê.1

Uma alimentação saudável e a suplementação nutricional, quando necessária, podem favorecer o desenvolvimento físico e cognitivo da criança.1,2

Por outro lado, a ingestão inadequada de nutrientes ao longo da gravidez, pode proporcionar riscos para a gestante e para o feto. Por isso, é importante o acompanhamento com especialistas, como obstetras, nutrólogos e nutricionistas.1,2

Por que é importante a suplementação na gestação?

Durante a gravidez, as mulheres aumentam o seu metabolismo basal (que é a quantidade mínima de energia necessária para manter o organismo em funcionamento) e também a necessidade de uma série de nutrientes.2,3,4

A suplementação na gestação pode ser necessária para garantir as quantidades adequadas destes nutrientes essenciais quando seu consumo por meio das fontes alimentares naturais é insuficiente.2-4

A formação do feto, da placenta e a preparação para a amamentação são modificações fisiológicas que demandam um aporte adicional de nutrientes que pode requerer uma ingestão suplementar de vitaminas e minerais.2,3,4

Quais as principais vitaminas e nutrientes necessários para a gravidez?

A nutrição na gestação deve ser composta por uma dieta regular e saudável. A ingestão de suplementos pode ajudar a atingir os níveis ideais de vitaminas e nutrientes necessários para a gestação.2,3

Alguns dos nutrientes que ganham maior importância durante a gestação são:

Ômega 3

Os ácidos graxos ômega-3 fazem parte das membranas das células, possuem propriedades anti-inflamatórias e tem papel na saúde cardiovascular. Além disso, o consumo diário do ômega 3 durante a gravidez pode favorecer o desenvolvimento do sistema nervoso e da retina do bebê.1,5,9

Estudos sugerem que essa categoria de gordura, considerada saudável, poderia diminuir a probabilidade da mulher desenvolver depressão pós-parto.5

Folato ou Ácido fólico

Diminui as chances de defeitos no fechamento do tubo neural do feto, estrutura que dará origem ao cérebro e medula espinhal. O ácido fólico também auxilia na multiplicação das células da placenta e do bebê.1,7

O ácido fólico é indicado logo no início da gestação (se possível, até mesmo antes da mulher engravidar) por conta de seus benefícios no desenvolvimento embrionário.1,6

Cálcio

Importante para regular processos do organismo materno, como a coagulação sanguínea, o fluxo de nutrientes para o bebê e, assim, colaborar para a formação do feto.4

Esse mineral contribui, principalmente, fortalecendo ossos e dentes do bebê. Auxilia também na regulação dos batimentos cardíacos.4

Ferro

É o nutriente responsável por auxiliar na formação das células vermelhas do sangue e no transporte de oxigênio pelo organismo. É o ferro que dá suporte ao metabolismo energético da gestante, apoiando também no sistema de defesa.1,6

Vitamina A

Contribui para o desenvolvimento celular e a saúde dos olhos, pele e mucosas. A influência da vitamina A se dá nos períodos em que as células se multiplicam, como na gestação e primeira infância. Além disso, concentrações sanguíneas adequadas de vitamina A são importantes para a realização de diversos processos fisiológicos.7

Vitamina D

Além de fortalecer os ossos, regula a concentração de cálcio no organismo e auxilia no sistema imunológico.1,8

A suplementação na gestação pode ajudar a garantir uma gravidez saudável e contribuir para diminuir riscos associados à deficiência de nutrientes no período gestacional. Vale lembrar que a adição de quaisquer nutrientes, vitaminas ou minerais na dieta alimentar deve ser acompanhada por especialistas.

Procure seu médico ou nutricionista e saiba mais sobre os benefícios da suplementação na gestação. Mantenha a sua saúde e valorize o desenvolvimento do seu bebê.

Referências

1. NOGUEIRA-DE-ALMEIDA, Carlos Alberto; PIMENTEL, Carolina; FONSECA, Eduardo Borges da. Além da nutrição: o impacto da nutrição materna na saúde das futuras gerações. São Paulo: Luiz Martins Editorial, 2019. 180 p. Disponível em: http://abran.org.br/new/wp-content/uploads/2019/08/ALEM_DA_NUTRICAO.pdf. Acesso em: ago. 2021.
2. SILVESTRE, Marta. Suplementação na gravidez e lactação: monografia. 2007. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/54694/4/115863_0736TCD36.pdf. Acesso em: ago. 2021. 
3. DIAS, Luciana Pereira Pinto et al. Ácidos graxos essenciais ômega-3 e ômega-6 no leite materno e sua associação com o desenvolvimento infantil: revisão de literatura. Femina, p. 225-228, 2014.
4. SILVA, Luciane de Souza Valente da et al. Micronutrientes na gestação e lactação. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 7, p. 237-244, 2007.
5. MAGALHÃES, Dulce Marlene Oliveira de. Ácidos gordos ómega-3 na gravidez. 2012. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/68771/2/39793.pdf. Acesso em: ago. 2021.
6. DIRETRIZ, O. M. S. Suplementação diária de ferro e ácido fólico em gestantes. Genebra: Organização Mundial da Saúde, 2013.
7. DIRETRIZ, O. M. S. Suplementação de vitamina A em gestantes. Genebra: Organização Mundial da Saúde, 2013.
8. BASILE, L. H. Gestante e necessidade da vitamina D. International Journal of Nutrology, v. 7, n. 01, p. 005-013, 2014. Disponível em: https://www.thieme-connect.com/products/ejournals/pdf/10.1055/s-0040-1704012.pdf. Acesso em: ago. 2021.
9. SWANSON, Danielle; BLOCK, Robert; MOUSA, Shaker A. Omega-3 fatty acids EPA and DHA: health benefits throughout life. Advances in nutrition, v. 3, n. 1, p. 1-7, 2012.

M-N/A-BR-08-21-0039 – APROVADO EM SETEMBRO/2021