Falar sobre a saúde feminina é também discutir a higiene íntima. Apesar do tabu que cerca a temática, cuidar da região íntima pode ser fundamental para prevenir algumas doenças.

A higiene íntima envolve alguns cuidados necessários para a saúde da mulher. É comum surgirem dúvidas quanto à frequência, modo correto de fazer a limpeza da vagina e quais os produtos indicados para a higiene.1,2

Falar sobre cuidado íntimo ainda causa certo receio em muitas mulheres e, algumas vezes, o autocuidado acaba ficando em segundo plano, comprometendo a saúde íntima feminina.1,2

Fato é que a higiene íntima feminina merece atenção, pois a região da vagina é uma área sensível, necessitando de cuidados específicos e, assim, impedindo infecções, irritações e alergias.1,2

O corpo feminino possui mecanismos para manter a região íntima em perfeito equilíbrio. A vagina tem um pH ácido e possui micro-organismos próprios que formam uma barreira contra outros agentes prejudiciais.2

A falta de limpeza ou o excesso de limpeza podem inibir esse mecanismo de defesa, provocando desequilíbrios locais. Por isso, é importante consultar um ginecologista e manter-se atualizada sobre os cuidados íntimos femininos.2

Qual o sabonete ideal para a região íntima feminina?

É comum que muitas mulheres utilizem o mesmo sabonete de higiene para limpeza íntima e para o resto do corpo. Entretanto, o mais indicado é buscar outro produto específico para a região íntima da mulher.2,3

Os sabonetes comuns têm boa capacidade de facilitar a limpeza, mas o seu pH alcalino pode destruir a camada oleosa que recobre a pele íntima, ressecando a região.2,3

Por isso, é indicado um produto que não altere o pH da vagina, que é geralmente ácido, e, ao mesmo tempo, seja hipoalergênico. Vale lembrar que os sabonetes íntimos são testados ginecologicamente, minimizando eventos adversos, como alergias e ressecamento.2,3

Como fazer a limpeza íntima da mulher?

Para higienização, deve-se evitar a introdução de qualquer produto na cavidade vaginal. A área a ser higienizada precisa contemplar a região externa, que inclui o monte púbico, pele da vulva, virilha e região perianal, além do compartimento intermediário, ou seja, o interior dos grandes e pequenos lábios.1,2

Para limpeza íntima, dê preferência por banhos com água corrente para favorecer a remoção mecânica das secreções. A limpeza deve ser diária e no clima quente, de uma a três vezes e, no frio, pelo menos uma vez ao dia.1,2

O tempo de higiene íntima não deve ser superior a três minutos para evitar o ressecamento local. Após a limpeza, o ideal é secar cuidadosamente as áreas lavadas com toalhas limpas e que não agridam a pele.1,2

Outros cuidados importantes para a higiene íntima feminina

Os lenços umedecidos podem ser uma alternativa para a limpeza íntima feminina, principalmente, durante o período menstrual ou quando a mulher encontra-se fora de casa. Entretanto, é importante considerar as substâncias presentes no lenço umedecido para evitar possíveis reações alérgicas.2

Outro ponto é a limpeza com papel higiênico. Recomenda-se evitar materiais coloridos, com fragrâncias e com relevo, isso porque eles podem conter componentes prejudiciais para a região íntima feminina. Quanto ao seu uso, o papel dever ser utilizado no sentido de frente para trás, para evitar a contaminação da vagina com impurezas da região anal.2

Como a higiene íntima feminina pode ter um impacto significativo na saúde da mulher, é importante estar sempre alinhada às recomendações médicas. Além disso, é preciso ponderar as escolhas que fazem sentido na rotina da mulher.2

Por isso, converse com seu ginecologista, procure conhecer os produtos e cuidados específicos para a região íntima e avalie as melhores práticas de autocuidado para manter a sua saúde.

Referências

1. INGLATERRA. NHS. Keeping your vagina clean and healthy: sexual health. Sexual health. 2018. Disponível em: https://www.nhs.uk/live-well/sexual-health/keeping-your-vagina-clean-and-healthy/. Acesso em: 30 ago. 2021.
2. BRASIL. FEBRASGO – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Higiene Genital Feminina. 2009. Disponível em: https://missali.site.med.br/fmfiles/index.asp/::XPR3638::/Guia_de_Higiene_Feminina.pdf. Acesso em: 30 ago. 2021.
3. SILVA, Denise Antonia Nunes et al. A importância do sabonete íntimo feminino com foco na microbiota e nos estágios de vida da mulher. 2019. Disponível em: http://revista.oswaldocruz.br/Content/pdf/Edicao_23_DENISE_ANTONIA_NUNES_SILVA.pdf. Acesso em: 30 ago. 2021.

M-N/A-BR-09-21-0005 – APROVADO EM SET/2021